Phnom Penh, o Camboja da vida real e autêntica

por | jun 8, 2019

Wat Ounalom

Depois das 6 horas de viagem vindo de Ho Chi Minh, no Vietnã (leia mais sobre essa viagem aqui), chegar no House Boutique Eco Hotel em Phnom Penh foi como entrar no paraíso. O curry de frango, a lasanha de berinjela e a garrafa de vinho foram a cereja do bolo depois daquela viagem cansativa.

Não é todo mundo que dedica à capital do Camboja o tempo que ela merece. A maioria das pessoas se limita a passar apenas um dia em Phnom Penh. Ou nem isso. Preferem focar apenas nos templos de Siem Riep e tiram do roteiro a capital do país. Se eu fosse você não cometeria o mesmo erro. 

LEIA TAMBÉM: O MELHOR DO COMPLEXO DE ANGKOR

Phnom Penh me ensinou o verdadeiro significado da palavra resiliência, através de sua triste história que se mistura ao sorriso e simpatia das pessoas. E foi também por lá onde tive contato com a verdadeira filosofia budista sem aquela horda de turistas em volta, como se vê na Tailândia.

Uma cidade pra observar devagar e sem expectativa, vendo monges, crianças, gatos, adultos e os poucos turistas se mesclando pelas ruas. É vida real e autêntica. Bem diferente dos pólos turísticos do sudeste asiático.

Wat Ounalom

A melhor maneira para se locomover pela cidade é de tuk-tuk. Mas lembre-se: Você está numa capital e isso significa que deve-se tomar certos cuidados pelas ruas. Nosso motorista de tuk-tuk nos recomendou guardar câmeras e celulares e não deixar a mochila à vista, pois é comum que motoqueiros as roubem sem você nem perceber.

 

O que fazer em Phnom Penh

1 – Museu do Genocídio ou S21

Prepare-se para um choque de realidade e um nó no estômago. O S21 foi uma antiga escola transformada em prisão e as salas de aula foram transformadas em celas de tortura. Hoje transformado em Museu do Genocídio, ele conta a história dos 4 anos de ocupação do Khmer Vermelho, onde quase dois milhões de cambojanos foram exterminados pelo regime ditatorial comunista.

Funciona das 8h às 17h e a entrada custa 3,00 USD.

 

Prisão S21

2 – Killing Fields

Foi um dos inúmeros campos de extermínio do Camboja, onde os presos eram obrigados a cavar suas próprias covas e as formas de assassinato eram as mais brutais possíveis.

Leia meu relato sobre o Museu do Genocídio e o Killing Fields nesse post aqui .Funciona das 7h30 às 17h30 e a entrada custa 6,00 USD.

 

Kiling Fields

3 – Wat Ounalom

Considerado um dos mais importantes templos budistas do Camboja. Mas não se trata de apenas um templo, e sim de uma espécie de vila com diversas construções dentro de um quarteirão fechado, num lugar que exala tranquilidade. Se você tiver a sorte que tivemos, quem sabe um monge te chame para meditar com eles e com as crianças.

4 – Royal Palace

Por USD3,00 você pode visitar uma das residências do Rei do Camboja, um lugar lindíssimo e com poucos turistas, bem diferente do Palácio Real da Tailan4dia, onde foi difícil conseguir tirar uma foto sozinha. Não deixe de reparar na riqueza de detalhes dos portões azuis.

Funciona das 8h às 11h e das 14h às 17h e a entrada custa 25.000 Reais Cambojanos.

 

5 – Wat Phnom

Numa das únicas colinas da cidade fica o templo de Wat Phnom. Cercado por um lindo parque e todo decorado com leões e serpentes na entrada, onde cheiro de incenso exala por todos os lados. Os locais vão ali pedir por sorte – e os que são atendidos retornam com suas oferendas.

Funciona das 7h às 18h e a entrada custa 1,00 USD. 

6 – Russian Market

Um dos tantos mercados da cidade e, com certeza, o melhor deles. É o lugar ideal pra comprar souvenires, bijouterias, acessórios, roupas e o que mais te der na telha. Não se esqueça de pechinchar. Dá pra conseguir uns 50%, 60% de desconto se você for bom nessa arte.

7 – Comer, comer e comer

Assim como seus vizinhos do sudeste asiático, o Camboja é o paraíso da comida gostosa e barata. A cozinha é um mix da comida vietnamita com a tailandesa. No River Side tem um monte de restaurante bacana. Escolha o que mais lhe chamar atenção e caia de boca. Não tem como errar.

Outra região cercada de restaurantes gostosos é nos arredores do Russian Market. O lugar foi atualmente reconhecido como o bairro mais cool de Phnom Penh, ou seja, os hipsters tomaram conta e levaram o que há de melhor pra lá.

Aproveite também para provar os mais diversos sucos vendidos em qualquer barraquinha da esquina. Frutas tropicais fresquinhas, no estilo lanchonete carioca.

Gostou do Post? Compartilhe!

– organize sua viagem e ganhe descontos –

Fazendo suas reservas pelos nossos links, você recebe descontos, nós ganhamos uma pequena comissão dos nossos parceiros e todo mundo viaja feliz.

leia também: