Viena: um guia do que fazer gastando pouco

por | nov 21, 2016

Viena

Mozart, Bethoven, Freud, Stalin, Hitler, imperatriz Sissi, princesa Leopoldina (a esposa de D. Pedro I) e os Habsburgo, a capital austríaca respira história e cultura.
Uma cidade majestosa, onde a elegância toma conta a cada esquina e a variedade cultural é tão rica, que você vai se arrepender se passar pouco tempo por lá. A capital faz parte daquele roteiro básico de quem viaja pelo centro/leste europeu: Praga-Viena-Budapeste. Mas, por ser uma das cidades mais caras do velho continente, é raro encontrar mochileiros que passem mais de 3 dias na cidade. Uma pena!

Viena

Viena é surpreendente, tem, na minha opinião, os melhores museus de toda Europa (são tantos que você pode ficar um ano inteirinho indo a um museu diferente a cada dia), doces divinos e um ar aristocrata imperial (por vezes até grosseiro), no mínimo interessante pra quem é backpacker acostumado com o povão.

A cidade aparece frequentemente na lista dos melhores lugares para se morar no mundo. Tem qualidade de vida, eficiência nos serviços, segurança, beleza. Mas tem também as pessoas mais mal educadas e grossas que já conheci. Segundo o guia do free walk city tour que fiz, os vienenses são velhotes chatos que odeiam tudo que é diferente (palavras dele, que é austríaco, não minhas). Bem diferentes de nós brasileiros e das vizinhas boêmias Praga e Budapeste.

Sinais de trânsito em Viena

Se você ama museus, música e cafés, Viena não cabe em 4 dias. É difícil escolher qual deles visitar ou se você vai na ópera ou no balé, que aliás, podem ser vistos quase que de graça.

Tortas e bolos divinos ficam expostos em vitrines que parecem de mentira de tão perfeitas. A cultura dos cafés vienenses é tão rica que, diz-se por aí, atraiu pensadores e figuras políticas importantes da história, como Freud, Trotsky, Stalin, Tito, Hitler, todos estiveram em Viena por alguns anos de suas vidas.

As coleções de arte, pinturas e esculturas coletados ao longo dos séculos pela família real estão expostas nos museus da cidade. O Beijo de Gustav Klimt, um dos grandes nomes da arte austríaca, está no Palácio Belvedere.

Palácio Belvedere

Nas semanas que antecedem o Natal a cidade se enche de mercadinhos lindos de se ver, com produtos que te farão ir à falência. No mercado que se forma em frente ao belíssimo prédio da prefeitura eles constroem até um rinque de patinação pras pessoas se divertirem no gelado inverno da capital.

Não é raro você ver um edifício e achar que se trata de um ponto turístico mas, na verdade, ele ser apenas mais um edifício majestoso de Viena. A cidade é assim, imperial, majestosa, de uma beleza impactante. 

Como chegar

Se você estiver em Praga ou Budapeste, a forma mais barata e rápida de chegar é de ônibus. A Student Agency vende passagens por 15 euros, num ônibus super confortável, com wifi, onde cada assento tem uma TV, além de uma comissária de bordo que passa oferecendo head Phone,  revistas e bebidas quentes de graça.

 

Como se locomover

Ônibus, metrô e bonde passam, obviamente, pontualmente. É possível comprar passagens unitárias, diárias, semanais e até anuais. O legal é que o sistema de tickets do metrô é integrado com outros transportes. Ou seja, o ticket comprado vale para ônibus e bonde também. Você pode comprar pela internet, nos guichês automáticos das estações e nos balcões de atendimento. Não esqueça de validar o bilhete assim que entrar no transporte escolhido.

 

O que fazer de graça (ou baratinho)

1 – Free walk city tour

Existem várias agências que oferecem os mais diversos tours. Eles são gratuitos e, se gostar do passeio, no final você pode deixar uma gorjeta pro guia (eu costumo deixar 5 Euros). Acho super válido fazer esse tipo de tour logo no primeiro dia na cidade, pra se ter uma visão geral do local e da história.

Palácio de Hofburg, onde Hitler fazia seus discursos  

2 – Subir na torre da igreja de St. Stephen

Mais do que a vista da cidade, é o telhado da própria igreja que chama atenção lá de cima, perfeitamente desenhado com a águia de duas cabeças, símbolo do império austro-hungaro. A entrada custa 4,50 euros.

3 – Concerto de órgãos

Toda segunda e quinta, às 15h, acontecem na igreja de St. Paul um belíssimo concerto de órgãos. A entrada é gratuita

 

4 – Feiras de Natal

Durante novembro e dezembro a cidade fica repleta de feirinhas de Natal. A entrada é gratuita, mas os produtos são super caros. Vale à pena comprar uma lembrancinha ou outra e comer muito!

Mercados de Natal em Viena

 

5 – Assistir a uma ópera ou balé

Sim, é possível assistir a um espetáculo praticamente de graça. Todos os dias, 80 minutos antes de cada apresentação, a Ópera de Viena disponibiliza ingressos a partir de 3 Euros para espetáculos no mesmo dia. O único porém é que é preciso chegar cedo na fila (uma hora antes pelo menos) e esses ingressos são para assistir aos espetáculos de pé. No entanto, eles têm a melhor visão do palco.

Viena

 

6 – Museus e Palácios

Não adianta, é impossível visitar todos os museus da cidade a menos que você passe alguns meses por lá. Dentre os que considero imperdíveis estão:

Palácio de Schonbrunn

Foi o palácio de verão da coroa austríaca. Existe mais de um tipo de tour e preços variados. Eu escolhi fazer o tour imperial por ser mais barato (13 Euros), mas me arrependi. Ele não leva até os aposentos de Maria Tereza, Única mulher da dinastia de Habsburgo que subiu ao trono imperial. 

Paláacio Schonbrunn

 

Palácio Belvedere

É onde está o Beijo de Gustav Klint e outras obras do autor. Além do museu principal, os jardins são maravilhosos e também tem um museu menorzinho com exposições temporárias, o Lower Belvedere. A entrada custa 14 Euros.

 

Museum Quartier

É um complexo de museus, cafés e restaurantes espalhados por uma praça onde também acontecem shows e eventos. Entre os museus, o Leopold tem a maior coleção de Schiele e boas de Klimt. No Mumok, uma coleção de arte moderna e contemporânea e arquitetura super interessante. No Kunsthalle, o forte são as exposições temporárias de fotos, vídeos e arte multimídia. A entrada do combo Mumok e Leopold custou 17.50 Euros.

 

Os museus gêmeos

Os prédios do Museu de História da Arte e História Natural são idênticos, por isso são chamados de gêmeos. Escolhi entrar no de História Natural e não me decepcionei. Uma verdadeira aula de biologia, química e física. Fiquei imaginando como devem ser as excursões escolares para museus tão culturalmente ricos como esse. Um arraso! A entrada custou 10 euros

Museu Freud

Esse só vale pra quem for fã do pai da psicanálise. Foi nessa casa que Freud atendeu seus pacientes por anos à fio. O interessante é que na entrada você toca a campainha e é recebido como se fosse um cliente de Freud e aguarda sua vez de entrar na sala de espera. Logo no início do tour tem um vídeo super legal contando um pouco da história do psicanalista e sua família. A entrada custa 10 euros.

Biblioteca

Quando fui à biblioteca de Praga (conto sobre meus dias por lá nesse post aqui), achei que nunca veria uma sala de livros tão deslumbrante. Isso foi até conhecer a de Viena. A Biblioteca de lá é de deixar o queixo caído, de te fazer sentir pequeno. Deslumbrante! A entrada custa 7 Euros.

Biblioteca de Viena

 

Onde comer

Restaurante Vapiano

É tipo um Spoleto, mas infinitamente melhor e super barato pros padrões Vienenses. Com cerca de 8 Euros é possível fazer uma boa refeição.

Vapiano

 

Confeitaria Demel

Talvez a mais famosa de Viena (junto com o Hawelka e o Café Centraal), com doces, cafés, e chás caríssimos e deliciosos. Está sempre lotada, mas com sorte você consegue um lugar no balcão. Strudel + café com creme saiu por 10 Euros

 

Restaurante Reinthaller

Nesse restaurante super local e nada turístico, os funcionários são extremamente mal educados, mas a comida é saborosa. Não que valha a pena pagar 13 Euros num Schnitzel com salala, mas a experiência de sofrer preconceito em terras gringas vale a ida.

Schnitzel

 

L’Osteria

Restaurante italiano delicioso e com preços razoáveis. Porções super generosas e taça de Lambrusco por 3,5 Euros. Tá bom ou não tá?

 

Naschmarkt

É o estômago de Viena. O mercado funciona de segunda a sábado com mais de 120 tendas com frutas frescas e desidratadas, verduras, queijos, pães e diversos produtos da região. Além disso, há uma grande variedade de restaurante de culinária austríaca e internacional.

 

Comida de rua nas feirinhas de natal

Aí vale provar de tudo. O Goulash, as sopas, os crepes, a raclete, os vinhos quentes. Se tiver por lá no inverno, prepare-se para engordar uns quilinhos com tanta guloseima

Mercados de natal em Viena

 

Gostou do Post? Compartilhe!

Gostou do Post? Compartilhe!

– organize sua viagem e ganhe descontos –

Fazendo suas reservas pelos nossos links, você recebe descontos, nós ganhamos uma pequena comissão dos nossos parceiros e todo mundo viaja feliz.

leia também:

Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial