O melhor de Budapeste, dos cafés aos banhos termais

por | abr 18, 2017

budapeste

Budapeste surpreende. Um lugar de identidade própria, jovem, moderna, menos turística do que Praga, menos majestosa que Viena, mas muito mais divertida do que as duas juntas. É linda de dia, mas à noite é tirar o fôlego, quando o Parlamento se ilumina, refletindo suas luzes no Rio Danubio.

parlamento hungaro

Até 1873, Buda e Peste eram duas cidades distintas, que depois foram unificadas. A divisão agora fica por conta do Rio Danúbio. De um lado fica Peste, a parte moderninha, animada, que concentra galerias de arte, bares, museus, igrejas, óperas. Atravessando a ponte, fica Buda, mais nostálgica, onde vive a classe alta e onde se localiza o esplendoroso Castelo e a Igreja de São Matias.

Budapeste tem vida e vontade de viver. Foi, junto com Viena, uma das capitais do colossal Império Austro-húngaro até o início da 1ª Guerra Mundial. Foi muito destruída durante a 2ª Guerra Mundial por sua aliança com a Alemanha Nazista, matando milhares de judeus que lá viviam. Nos anos que se seguiram, foi submissa à União Soviética durante os 40 anos de comunismo. Hoje, a capital da Hungria brilha como uma das cidades mais encantadoras que já conheci na Europa.

budapeste

Budapeste é contraditória. Apesar de ter uma juventude moderninha, o guia com quem fiz um free walk city tour nos contou que ainda existe muito preconceito por lá, principalmente contra homossexuais e judeus. E isso não deve mudar tão cedo, já que o país é governado pela extrema direita, eleita pelos mais idosos, e os jovens não estão interessados em votar. Outro ponto interessante é que, apesar da educação ser gratuita, muitos estudantes de medicina, por exemplo, preferem fazer a universidade fora do país. Pois caso eles estudem na Hungria, quando se formam são obrigados a permanecer no país tantos anos quanto ficaram na faculdade. E os salários por lá não são nada atrativos, disse o guia.

budapeste

Budapeste é barata. Foi a minha última parada do tour que fiz pela Europa Central, quando passei por Praga, Viena e Bratislava. Estive por lá no fim de um outono que já tinha ares de inverno gelado, com temperatura às vezes abaixo de 0º. Foram 7 dias descobrindo as delícias dos banhos termais, da Palinka, do Goulash e dos Ruin Bars espalhados pela cidade. Meus gastos foram em média de R$150,00 por dia (incluindo hospedagem, alimentação e transporte).

Quem vai se apaixona. Então, vem aqui comigo conhecer um pouco dessa cidade vibrante

budapeste

LEIA TAMBÉM: O QUE FAZER EM BRATISLAVA EM 2 DIAS


COMO CHEGAR E SE LOCOMOVER

Cheguei à cidade de ônibus, vindo de Bratislava. Comprei a passagem na hora mesmo, na própria rodoviária de Bratislava, pela empresa Regio Jet , por cerca de 5 euros. Foram 2h30 de viagem, num ônibus super confortável e com WiFi.

A rodoviária de Budapeste fica um pouco longe do centro, mas é possível pegar o metrô logo do outro lado da rua (tem uma passagem subterrânea pra chegar até ele).

O transporte público, aliás, é muito eficiente. O metrô subterrâneo é o mais antigo da Europa, construído lá no século 19. Além do metrô, a cidade é bem servida de ônibus e bondes. Os tickets podem ser adquiridos nas próprias estações e a validação deve ser feita antes da entrada ou imediatamente após. Você deve guardá-lo até o fim da viagem para mostrar aos inspetores que te exigirem.

metro budapeste

 

ONDE FICAR

Foi lá em Budapeste que encontrei o melhor hostel que já me hospedei na vida. O Maverick City Lodge fica em Peste, no bairro judeu, o mais agitado da região. A decoração moderninha dava todo charme ao local. Nos quartos coletivos, com diárias de apenas 10 Euros na época, as camas são separadas como se fossem contêineres, cada um tem sua própria tomada, luminária, espaço para deixar as coisas ao lado da cama e cortinas que te dão a maior privacidade. Há também quartos individuais.

maverick city lodges budapeste

Além do hostel ser tudo de bom, seu restaurante não fica atrás. Foi dos melhores e mais baratos que comi em Budapeste. Comida internacional, café da manhã por 5 dolares e jantar por pouco mais que isso.

maverick city lodges budapeste

 

O QUE FAZER

1 – Free Walking City Tour

Você sabia que o cubo mágico é uma invenção Húngara? E que o a Hungria disputa com a Áustria a criação da receita do Apfel Strudel? Adoro cultura inútil e pra ficar sabendo dessas coisas, só mesmo fazendo walking tour com guia local.

Já disse mais de uma vez por aqui, sempre que chego numa cidade nova eu tento fazer um free walking city tour pra receber boas informações de quem é local. Esses tours são gratuitos e você pode colaborar com gorjetas.

budapeste

 

2 – Atravessar a Ponte Széchenyi à pé

É a mais bonita das pontes que conectam Buda a Peste. Foi a primeira ponte fixa sobre o rio Danúbio, inaugurada em 1849. Ela foi destruída durante a 2ª Guerra Mundial e reconstruída posteriormente.

Ponte Széchenyi

 

3 – Passeios de barco

Às margens do rio há várias empresas que vendem passeios de barco, é uma boa forma de conhecer a cidade de outro ângulo e de admirar as paisagens com mais calma. tem barcos de passeio e outros com bares e restaurantes.

budapeste

 

EM BUDA…

1 – Castelo, Igreja de São Matias e Bastião dos Pescadores.

A subida longa até essas três atrações, que ficam uma ao lado da outra, traz recompensas. É a vista mais bonita da cidade.

O Castelo foi moradia de todos os reis da Hungria desde 1265. Há alguns tours diários e os jardins ficam abertos ao público todos os dias.

CASTELO DE budapeste

O Bastião foi erguido no lugar das antigas muralhas de defesa de Buda no século 19 e funciona como um belo mirante.

Bastião dos pescadores budapeste

A Igreja de São Matias data foi construída entre os séculos 13 e 15, foi quase completamente destruída pela invasão turca e reconstruída séculos depois. Seu telhado é o que há de mais interessante.

CASTELO DE budapeste

 

2 – Citadella

É o ponto mais alto de Buda, onde os Habsburgos construíram um forte como símbolo do seu domínio sobre a cidade. Se você estiver na região do Castelo, vá caminhando pelos jardins, desça até a margem do Rio e siga o caminho que leva até a Citadella. É um passeio gostoso de se fazer (quando não está frio, obviamente)

Citadella budapeste

3 – BANHO TERMAL DO HOTEL GELLERT

Se eu for elencar o que mais gostei em Budapeste, os banhos termais certamente ocuparão o topo da lista. Esse do Hotel Gellert tem piscinas em diferentes temperaturas, das super quentes às super geladas, além de saunas e spas. Você sai de lá levitando e querendo voltar. Sugiro finalizar as andanças do seu dia por lá. Você não vai se arrepender.

Gellert Hotel

 

EM PESTE…

1 – Parlamento Húngaro

Um dos prédios mais bonitos que já vi na vida, principalmente à noite, iluminado e refletindo no Rio Danúbio.

Tem visita guiada e as entradas podem ser compradas com antecedência nesse link aqui

parlamento hungaro

 

2 – Memorial dos Sapatos

Os sapatos esculpidos em ferro simbolizam os judeus mortos no holocausto. Durante a II Guerra Mundial os judeus eram enfileirados na beira do Danúbio para serem fuzilados e seus corpos jogados no rio. Mas antes, os nazistas removiam seus sapatos, já que era um ítem valioso na época.

Memorial dos Sapatos BUdapeste

 

3 – Mercado Central

Um pouco mais adiante do Memorial dos Judeus fica o mercadão. Cheio de comidas locais, artesanatos, cores e sabores da Hungria. Páprica, páprica, páprica! Uma perdição.

mercado central budapeste

 

4 – Grande Sinagoga

Localizada no Bairro Judeu fica a maior Sinagoga da Europa e a segunda maior do mundo. Não entrei, mas o prédio por fora é de arrepiar de lindo.

 

5 – Museu da Casa do Terror

Pra quem gosta de história, o local é super interessante. Ele conta a história do nazismo e do comunismo que dominaram a Hungria no século XX. O museu fica no prédio que foi a sede do Partido da Cruz Fechada (a versão húngara do Partido Nazista Alemão) e mais tarde foi a casa do serviço de segurança do Partido Comunista no país.

 

6 – Avenida Andrassy

Imagina uma rua muito imponente, cheia de mansões, hotéis, óperas de deixar o queixo caído, a Champs Elysees húngara. Lá é bem isso.

budapeste

 

7 – Banho termal Szechenyi

A maior, mais conhecida e mais antiga das termas de Budapeste fica no final da Avenida Andrassy. São 21 piscinas internas e externas, com temperaturas variadas. No verão rolam umas festinhas bem maneiras por lá.

Banho termal Szechenyi

  

Bares e Restaurantes

Szimpla Kert 

Os ruin bars são uma espécie de atração turística típica de Budapeste. Estabelecimentos que foram ocupados em prédios abandonados e destruídos após a Segunda Guerra Mundial, por pessoas que procuravam um lugar para “consumir” cultura e bebida. Foram decorados com tudo quanto é coisa que se visse pela frente, desde TVs antigas a bicicletas e até pinicos, mantendo um pouco da característica de abandono e de decadência como foram encontrados. O Szimpla Kert é o mais famoso deles, mas tem vários outros espalhados pela cidade.

Szimpla Kert

Café Klauzal 

Chama-se café, mas é um restaurante. Uma delícia pra comer patê de fígado, sopas de goulash e tomar vinho

Soul Food 

Restaurante de comida creole incrível! Atmosfera intimista, alto astral e comida maravilhosa!

café klauzal budapeste

Restaurante Menza 

Fica numa pracinha lotada de restaurantes de diversas nacionalidades. Esse é de comida húngara, tem uma decoração retro charmosinha. Pedi um catfish com papricas maravilhoso.

café klauzal budapeste

GOZSDU UDVAR

É um boulevard localizado no bairro judeu cheio de bares, restaurantes e cafés, muito popular entre os locais. Escolha um deles e aprecie o vai e vem de gente.

budapeste

THE VINTAGE GARDEN

Um restaurante localizado no coração de Budapeste, com a decoração mais linda e geralmente lotado. Os pratos são gostosos, nem tão baratos assim, mas vale pelo ambiente.

CIRKUSZ

Lugar jovem, descolado, bohemian, com um bruch gostoso e bem disputado pelos locais e pelos turistas

café klauzal budapeste

 

Gostou do Post? Compartilhe!

– organize sua viagem e ganhe descontos –

Fazendo suas reservas pelos nossos links, você recebe descontos, nós ganhamos uma pequena comissão dos nossos parceiros e todo mundo viaja feliz.

leia também: