Jericoacoara, o paraíso nas areias do Ceará

por | ago 7, 2013

Uma vila de pescadores incrivelmente linda, com hotéis charmosos, lagoas e praias paradisíacas e lotada de esportistas em busca dos bons ventos.

A única certeza que eu tinha é de que iria pro Nordeste. A dúvida: Ceará ou Bahia. A promoção de milhas valia pros dois lugares, então mudei um pouco minha rotina e fui conhecer a terra da minha avó paterna, o Ceará.

Cheguei a Fortaleza na primeira semana de agosto, inverno no Brasil e 35° lá fora. Numa das melhores capitais do Nordeste, o sol aparece de dezembro a dezembro, as praias são bonitas e a comida deliciosa! Fiquei hospedada na casa da Nina, uma amiga querida que não via há muitos anos, mas, como qualquer bom amigo, era como se tivéssemos nos visto uma semana antes.

Nina me mostrou o que Fortaleza tem de melhor. Pra começar o dia, tomamos café da manhã no Centro das Tapioqueiras. Eu, viciada em tapioca, me acabei na de carne seca com queijo coalho. O difícil foi comer uma só.

fortaleza

De lá pra praia de Porto das Dunas, que fica próxima ao Beach Park. Deserta, com quiosques mais tranqüilos, peixe frito e cerveja geladíssima! À noite fomos dar umas voltas no Dragão do Mar, centro cultural cheio de bares, shows, teatros, cinemas, museus.

No dia seguinte, fui conferir o que a famosa Praia do Futuro tinha de tão especial. É uma praia boa pra quem quer mordomia, com barracas que mais parecem clubes, música alta e uma certa muvuca que em nada me agrada. Mas se essa é a sua pegada, vai na fé.

Um lugar imperdível em Fortaleza é o Mercado Central. Voltei de lá carregada de bugingangas. Bijouteria, caminhos de mesa, cestas de palha e uma rede que até hoje, um ano depois, ainda não tenho onde pendurar! Dizem que a feirinha da Praia de Iracema é tão boa quanto.

Mas minha pegada no Nordeste não são as capitais, e sim os pequenos paradises. No outro dia cedinho já estava embarcando pra Jeri. A passagem você pode comprar online no site da Fretcar. A empresa tem de 1 a 3 horários diários (dependendo da demanda) e o embarque pode ser no aeroporto, na rodoviária ou na avenida Beira Mar. São 5h30 de viagem até Jijoca de Jericoacoara e 1h de jardineira entre as dunas, sem estrada definida, até a vila. Se você estiver viajando em grupo, vale alugar um 4×4, mas jamais vá de carro comum. Importante: Leve cash, pois não há caixas eletrônicos por lá.

jericoacoara

Cheguei em Jeri sem reserva de hotel ou pousada, como me é de costume, mas foi fácil achar um lugar. Fiquei no Jericoacoara Hostel, super bem localizado, ótimo serviço e, o melhor, muitas redes espalhadas pelo pátio externo. Lá conheci pessoas que guardo no coração pra sempre. A mineira Lena, que agora tá morando aqui no Rio para nossa alegria, a paulista Déia que “largou tudo” e foi morar uns tempos em Jeri (aliás, clica aqui, assista o vídeo que a Déia fez sobre isso e crie coragem também!), o inglês John que passou um ano e meio viajando pelo mundo, desenhando pessoas e paisagens, a cearense Chris que morava no Rio e estava prestes a voltar pra sua terra natal e, claro, a galera local que virou brother.

O melhor de viajar sozinha e se hospedar em Hostel é ter a possibilidade de conhecer pessoas que talvez você não conhecesse se viajasse acompanhada. Conexões de vida!

Amigos que conhecem meu jeito e minha essência já diziam: “você tem que ir pra Jeri!”

Por que?

jericoacoara

1 – você só anda descalço ou de chinelo

Esqueça qualquer outro tipo de sapato em casa. Você não vai precisar. Jeri é uma vila de pescadores construída na areia. Salto alto é impossível, no máximo uma rasteira.

jericoacoara

2 – o pôr-do-sol mais bonito que já vi

Se você chegar em Jeri no final da tarde, deixe suas coisas no hotel e vá direto assistir ao pôr-do-sol na Duna do pôr-do-sol, o mais famoso do lugar. Venta muito, a areia vai até te machucar, mas você terá a chance de assistir a um espetáculo que quase não acontece no Brasil, o sol se pondo no mar.

Agora, se você for a Jeri entre julho/agosto, aí poderá ver o pôr-do-sol mais fabuloso do universo, o da Pedra Furada. Nessa época do ano o sol se põe exatamente no meio da pedra. É um choque de beleza.

E não adianta querer ser original no fim de suas tardes, porque o pôr-do-sol de Jeri é pra ser visto quantas vezes forem possíveis.

pedra furada jericoacoara

3 – As redes dentro d’água

Sabe o Nirvana? Não a banda, mas aquele estado mental que não se perturba com nada? Não sabe? Então vá pra Jeri e experimente isso.

Nas lagoas da Torta e da Jijoca (essa dividida em duas partes: Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso), você pode desfrutar do ócio nas redes e, quando cansar de descansar, fazer stand up paddle ou se esbaldar na comilança de frutos do mar. O passeio de Buggy até a Lagoa do Torta sai por R$50,00, com direito a parada pra fazer esquibunda nas dunas de Tatajuba e, por mais R$10, fazer o passeio de barco pelo mangue pra ver os cavalos marinhos. Já pra Jijoca você pode pegar a jardineira por R$20,00 e ficar por lá o tempo que quiser.

As lagoas, aliás, são as melhores “praias” de Jeri.

lagoas de jericoacoara

4 – o vento 

O que pode ser um incômodo pra quem só quer curtir uma praia, é o ponto alto dos gringos kitesurfistas e windsurfistas que invadem Jeri de julho a dezembro. Os ventos fazem de lá um dos melhores lugares do mundo para a prática de Wind e Kitesurf. No Club dos Ventos você pode alugar o material e se esbaldar no mar. Eu até que tentei fazer SUP, mas o vento não colaborou e troquei pelo long board nas marolas.

5 – a trilha até a pedra furada

Na verdade, existem três formas de se chegar até lá. Pela estrada, pelo morro do Serrote ou pela praia.

Pela estrada é mais fácil e, se estiver cansado, pode pegar carona de charrete. Pelo morro do Serrote é mais complicado, mas é o visual mais bonito. Mas a melhor de todas é pela praia, que só pode ser feita na maré baixa. No meio do caminho você encontra pequenos oásis, como esse aqui embaixo, além de uma nascente de água doce bem na areia da Praia.

6 – luau, forró e caipis de frutas típicas 

A noite de Jeri começa tarde, por volta de uma da madrugada. Mas, se pensa encontrar por lá baladas eletrônicas, este não é o seu lugar. Escolha entre o forró ou algum luau que os nativos provavelmente estarão organizando e você saberá na boca miúda. Mas antes disso, todos se encontram nas barracas da praia principal. Lá as vezes rola DJ, às vezes algum showzinho e, sempre, as deliciosas caipirinhas de frutas típicas. Seriguela, mangaba, cajú, é só escolher. No fim da noite, todos os caminhos levam à padaria Santo Antônio – a partir das duas da matina tem pão francês, de queijo, de coco e de banana saindo quentinho do forno.

jericoacoara

7 – a comida 

A cidade tem opções para todos os bolsos, com PFs com peixe por até R$15 e restaurantes charmosos com porções de lagostas frescas.

A torta de banana da Tia Angelita, na rua principal. O camarão no abacaxi, encontrado em diversos restaurante. O crepe fininho e crocante do Naturalmente. Relaxe da dieta e prove tudo que puder. Você não vai se arrepender.

Se você é um apressadinho, não vá para Jeri. Lá, como na maioria dos paraísos nordestinos, o tempo é outro e você nem vai perceber que a bateria do celular acabou. Seu único compromisso é com você mesmo, com a tábua da maré e com a hora do sol se pôr. No mais, procure uma rede e viva!

cuca de banana jericoacoara

Gostou do Post? Compartilhe!

– organize sua viagem e ganhe descontos –

Fazendo suas reservas pelos nossos links, você recebe descontos, nós ganhamos uma pequena comissão dos nossos parceiros e todo mundo viaja feliz.

leia também: